Skip to content

Pequeno poema a uma borboleta morta

Maio 15, 2012

                                                                                                    ©  Andrade Paes 1954

 Pálida

e tam levemente desbotada

tua asa quieta!

 

Brotaste

não sei de que sentimento

trazendo

um vago sonho permanecido

 

Sinto-te

como uma pequena bruma

descolorida ao vento

 

Sem pensamento:

inútil e frágil

no tempo

 

tua atitude inacabada

permanecendo.

 

Glória de Sant’Anna, in Música Ausente,1954 pag.35

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: