Skip to content

Pastoral

Dezembro 22, 2013

Pela tarde mansa

tão largo prado.

(Ovelhas de oiro

de meu cuidado).

 

Nuvens de prata

chão orvalhado.

(Rebanho de oiro

tão mal guardado).

 

Poente rude

caminho andado.

(Cordeiro branco

se há tresmalhado).

 

E por que o busco

entre os silvados,

me perco eu

com meus cuidados.

Glória de Sant’Anna in Poemas do tempo agreste, 1964, pag.37

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s