Skip to content

Gritoacanto 1970-1974

Julho 18, 2015

porque tem que ser que ninguém saiba (ou suspeite)
para que entre vós e eu não se levante
uma inútil e alheia espada
oculta em cada caule de cada flor lançada
à minha fronte

tem que ser navegando a longa noite
o meu rosto como proa ao mar largo
sem bússola ou sextante ou estrela polar
para que entre vós e eu não se levante
a neblina da inquietude

quero-vos assim e vogareis nas palavras
que hajam de ser ditas mesmo assim tão ténues
estareis parecendo
que ninguém saberá a força com que me destruis
porque vos estou sopeando e contendo

e acharão natural que sob uma ou outra flor
lançada à minha fronte
haja um vago palor de fadiga e de assombro

 

Glória de Sant’Anna in Gritoacanto 1970-1974 – Amaranto, 1988

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s